Cruz Alta, 16/07/2018

Institucional

A Associação das Damas de Caridade, fundada em 06 de janeiro de 1915, por um grupo de senhoras e senhoritas da sociedade de Cruz Alta é a Entidade Mantenedora do Hospital São Vicente de Paulo.

O Hospital São Vicente de Paulo, como instituição filantrópica, dedica-se ao atendimento da comunidade local e regional, atendendo pacientes de diversos convênios e pacientes particulares, além de prestar auxílio aos carentes de recursos.

Com o nome de Enfermaria São Vicente de Paulo, no ano de 1918, em uma casa na Praça São Jacó, estava lançada a semente da qual brotaria o Hospital São Vicente de Paulo, fundado em 9 de fevereiro de 1921.

O Corpo Clínico inicialmente era composto pelos médicos:

  • Catarino Rafael de Azambuja
  • Gabriel Álvaro de Miranda
  • Euclydes da Cunha Lopes
  • João Florentino Meira
  • Francisco do Canto
  • Pedro Turi
  • Ursino Meirelles 

Em 1935, o Dr. Gabriel Miranda, idealizador do Hospital, foi eleito Diretor-Clínico. Como a boa medicina de Cruz Alta era reconhecida pelos municípios vizinhos, a afluência de doentes era grande, tornando necessário o aumento de leitos e a melhoria da estrutura hospitalar. Assim sendo, foram construídos sucessivamente: o Pavilhão São José (1935), o Pavilhão do Alojamento das Irmãs (1935), a Capela de Santa Rita de Cássia (1938), o Pavilhão da Maternidade (1939), o Pavilhão Bonifácio da Costa (1941) e o Pavilhão Santa Rita (1943). Estas construções atingiram 2.224,21 m2.

Em 1940, foi organizada a primeira Jornada Médica em Cruz Alta, com a participação de médicos de todo o Estado. No Hospital, foram feitas demonstrações cirúrgicas.

Em plena Segunda Guerra, o Governo pediu, através da Cruz Vermelha Brasileira, que entidades ligadas à saúde formassem enfermeiros. O Hospital organizou o curso com enfermeira diplomada no Rio de Janeiro, e em 1943, vinte e uma senhoras e moças da comunidade formaram a primeira turma de Samaritanas da Cruz Vermelha. Em 1944 a segunda turma concluiu o curso de enfermagem de guerra.

Em 1973, as Irmãs de Caridade da Ordem 3ª de São Francisco, deixaram de trabalhar no Hospital, como faziam desde 1922, tanto na enfermagem, como no setor administrativo. Ainda hoje, é lembrado o trabalho caridoso e competente por elas desenvolvido, tendo como liderança positiva a Madre Maria Beatriz Londero.

De 1967 até 1986, foram construídos mais 5.520,67 m2 , sendo o Dr. Gabino Peixoto de Miranda, na direção médica, o idealizador destes projetos.