Cruz Alta, 11/12/2017

15 de maio é dedicado ao Combate da Infecção Hospitalar

A data de 15 de maio é considerada o Dia Nacional de Combate à Infecção Hospitalar, por isso preparamos uma matéria especial que aborda esse tema que nos últimos anos vem gerando preocupações e dúvidas.

A infecção hospitalar (IH) é aquela que acomete o paciente durante a internação, ou que está relacionada a procedimentos realizados durante esse período. No ambiente hospitalar existem bactérias, germes, vírus e outros microrganismos que podem ser transmitidos de pessoa para pessoa, por isso pode ocorrer a infecção hospitalar.

Dentro dos hospitais existem os setores responsáveis pelo controle da infecção. No Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Cruz Alta o controle da IH é feito pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) composta por membros consultores e executores. Já o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) é constituído por membros executores (um médico, uma enfermeira e duas técnicas em enfermagem), responsáveis pelo monitoramento e busca ativa de infecções. “Tanto o controle de infecção como a obediência às normas de precaução são de responsabilidade de todos os funcionários e não somente do SCIH”, ressalta a enfermeira do SCIH Roselaine Seccon.

Segundo a enfermeira, a busca ativa é feita diariamente a partir do prontuário dos pacientes e de visita àqueles que são considerados suscetíveis a infecções. De acordo com cada caso, é feita a avaliação de resultados de exames laboratoriais e de culturas. Em alguns casos, é implantada a Medida de Bloqueio Epidemiológico (MBE), quando medidas de precauções de doenças transmissíveis são adotadas.
Embora o ambiente hospitalar seja propício à infecção, somente correm o risco de serem acometidas por ela, aquelas pessoas que possuem determinados tipos de enfermidades que diminuem a resistência e a imunidade do paciente, ou seja, depende do estado clínico de cada um, sendo que pessoas saudáveis não são suscetíveis à infecção.

A forma que o causador da infecção, seja ele germe, vírus ou bactéria, chega ao paciente pode ocorrer por diferentes meios, como por exemplo, de uma pessoa saudável que porta o microrganismo e ao fazer contato com o paciente o acaba infectando ou também em certas exposições que o paciente é submetido, como cirurgias, utilização de sonda vesical, ventilação mecânica, entre outros.

A diminuição dos casos de infecção hospitalar pode evoluir a partir de medidas simples. Abaixo seguem algumas dicas:

- Lavar as mãos. Essa medida deve ser adotada por todos, além do próprio paciente, funcionários, acompanhantes e visitantes, visto que esses podem levam a infecção até os pacientes mais debilitados;

- Funcionários devem utilizar os jalecos somente nas dependências do hospital, não vestindo estes em áreas externas;

- Os funcionários devem sempre utilizar os equipamentos de proteção individual (EPIs);

- Possuir hábitos saudáveis;

- Fazer exames preventivos.

A enfermeira do SCIH destaca que somente pode ser infectado quem tiver alguma porta de entrada favorável (como já explicado acima) e que pessoas saudáveis mesmo que façam contato com algum microrganismo não serão acometidas pela infecção.



Assessoria de Comunicação do Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta.
Informando você sobre o Hospital que está no coração da gente.
Texto: Claudiane Veber (Jornalista Responsável – MTB nº 17.049)
Imagem: Divulgação Internet
Contato: (55)3321-2400/(55)9614-5316 ou comunicacao@hsvpca.com.br
Confira nosso site: www.hsvpca.com.br
Curta nossa Fan Page no Facebook: www.facebook.com/HSVP.CRUZALTA