Cruz Alta, 12/12/2017

Dia Nacional da Doação de Órgãos: HSVP promove ações alusivas à data

Este sábado (27/09) é considerado o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Em alusão a data, o Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta (HSVPCA), através da sua Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) promove uma ação de conscientização junto à comunidade durante a Feira Nacional do Trigo (Fenatrigo), no stand da Instituição.

Além disso, também realizará palestras no dia 7 de outubro na Escola de Educação Profissional Erico Verissimo para os cursos técnicos em Radiologia, Enfermagem e Segurança do Trabalho e no dia 10 de novembro, no Instituto Estadual de Educação Professor Annes Dias para o curso técnico em Enfermagem. As atividades serão ministradas pelo médico neurocirurgião integrante do Corpo Clínico do HSVPCA Elói Mauro Domingues, enfermeira Magda Lamaison Santos, assistente social Fátima Bronzatti e psicóloga Indiara Martins e terá como temas: morte encefálica, doação de órgãos e abordagem familiar.


Saiba mais sobre doação de órgãos
A Lei brasileira que dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplantes é a de nº 9.434, de 4 de fevereiro de 1997, alterada pela Lei nº 10.211, de 23 de março de 2001. Com a modificação da Lei, a retirada de órgãos/tecidos de pessoas falecidas só pode ser feita mediante autorização da família do indivíduo. Nesse sentido, destacamos a importância de que a vontade de ser doador seja expressa para a família.
Somente pode ser doador de órgãos aquele que falece em decorrência de morte encefálica, ou seja, a morte do cérebro, incluindo o tronco cerebral responsável pelo desempenho das funções vitais, como por exemplo, o controle da respiração. Por isso, embora haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte cerebral não pode respirar sem o auxílio de aparelhos e o coração seguirá batendo, somente por poucas horas, assim, a morte encefálica já caracteriza a morte do indivíduo. Destacamos que os órgãos só podem ser aproveitados para doação, se retirados enquanto ainda há a circulação sanguínea irrigando-os, ou seja, antes que o coração deixe de bater. Podem ser aproveitados para doação: córneas, coração, fígado, pâncreas, pele, rins, medula óssea e válvulas cardíacas, no entanto, no caso de o coração parar, somente poderão ser doadas as córneas do paciente.

Ao ser reconhecido um doador efetivo, a central de transplantes é notificada pelo Hospital, pois somente ela, tem acesso aos dados cadastrais e técnicos quanto à lista de espera. O receptor é definido respeitando os critérios de classificação, exclusão e urgência de cada tipo de órgão. Estes são os fatores que determinam a ordem na lista, bem como, a partir de exames de compatibilidade. Isto é realizado a partir de um sistema informatizado que determina o ranking dos receptores mais compatíveis. Por isso, nem sempre o próximo da lista será o próximo a receber o órgão já que depende da compatibilidade doador-receptor.

Há também a possibilidade de se tornar um doador ainda em vida, mediante avaliações e testes médicos e desde que atenda a uma série de requisitos, como por exemplo, apresentar condições adequadas de saúde; ter um receptor com indicação terapêutica indispensável de transplante; ser parente de até quarto grau ou cônjuge; mediante autorização judicial.
Podem ser doados em vida os seguintes órgãos e tecidos: rim, pâncreas, medula óssea (por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue), fígado (parcial em torno de 70%), pulmão (parcial e somente em situações excepcionais).

Entenda como funciona o CIHDOTT no HSVPCA
Desde 2004 o Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta é habilitado para a captação de múltiplos órgãos. Com esse objetivo foi implantada a Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) que tem como meta organizar o processo de captação de órgãos, identificando potenciais doadores e promovendo a abordagem familiar através de entrevista, além de articular as equipes médicas e os setores hospitalares envolvidos no processo com a Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Estado. A CIHDOTT do HSVP é composta pelo Coordenador Médico, João Carlos Donadussi; pela Enfermeira responsável pela identificação diária de potenciais doadores, Magda Lamaison, e pela Assistente Social responsável pela entrevista e suporte familiar, Fátima Bronzatti.

Segundo o ranking da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), o Rio Grande do Sul apresentou queda no quantitativo de doações, estando no 6º lugar do país. No primeiro semestre de 2014 dos 268 potenciais doadores, somente 87 doações foram efetivadas.

No HSVP não é diferente. Em 2011 foram realizadas duas doações de múltiplos órgãos. Em 2012, duas doações de múltiplos órgãos e uma de córnea. Já durante todo o ano de 2013 até setembro de 2014, embora tenham sido abertos protocolos de potenciais doadores, não houve nenhuma doação.



Assessoria de Comunicação do Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta.
Informando você sobre o Hospital que está no coração da gente.
Texto e Fotografia: Claudiane Veber (Jornalista Responsável – MTB nº 17.049)
Contato: (55)3321-2400/Ramal: 2537 ou comunicacao@hsvpca.com.br
Confira nosso site: www.hsvpca.com.br
Curta nossa Fan Page no Facebook: www.facebook.com/HSVP.CRUZALTA